Afinal, o que é um bom Planejamento

Poderia começar este artigo com alguns aspectos importantes de um bom planejamento:

1. Conceitos de planejamento
2. Elementos da composição de um bom planejamento
3. Etapas a serem vencidas na elaboração de um bom planejamento
4. Dicas e exemplos de um bom planejamento
5. Identificando limites e possibilidades de um bom planejamento
6. Etc.

Deixarei estes aspectos para especialistas na área de Administração, Recursos Humanos, ou seja lá o que for, pois minha proposição é mais transcendental: Será que o planejamento tem sentido, a partir do seu conceito elementar de compreender o passado e estabelecer planos para o futuro. Será que a vida tem todo este sentido de planejamento, ou será uma tentativa humana de manipular o tempo e as pessoas, dando um sentido àquilo que não tem sentido.

Parafraseando Fernando Pessoa: "Planejar é preciso, viver não é preciso". Mas afinal, o que é Planejamento?

Segundo o Dicionário Aurélio, planejamento é o ato ou efeito de planejar (Fazer o plano ou planta de traçar); Trabalho de preparação para qualquer empreendimento, segundo roteiro e métodos determinados; Elaboração por etapas, com bases técnicas, de planos e programas com objetivos definidos.

Planejar é uma arte. Dizem que quem faz um bom planejamento já realizou 50% das tarefas a serem desenvolvidas.

Devido minha formação pragmatista tenho observado alguns aspectos no planejamento daquilo que tenho feito, à luz daquilo que fiz, para elaborar novas metas para aquilo que farei.

Veja abaixo um esboço sistemático daquilo que disse acima, ressaltando que este modelo de planejamento pode servir tanto para o planejamento de vida pessoal como para uma empresa, igreja, escola, ou qualquer outra instituição:

I - O que fiz de bom no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
II - Quais as circunstâncias que me levaram fazer o que fiz no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
III - O que fiz de ruim no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
IV - Quais as circunstâncias que me levaram fazer algo ruim no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
V - O que deixei de fazer no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
VI - Por que não fiz o que deveria Ter feito no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
VII - O que poderia ter sido feito, mas não fiz no passado?
1. Obstáculos (impedimentos)
2. Desafios (motivação)
3. Possibilidades (estímulo)
VIII - O que posso e devo fazer daqui para frente?
1. Listar
2. Priorizar
3. Operacionalizar
4. Estabelecer cronograma
5. Divulgar

Apesar de muitas vezes parecer repetitivo, este quadro sinóptico tem um sentido lógico, e será bom deixar claro que de repente tudo o que está sugerido neste artigo não tenha sentido algum nem para o leitor e muito menos para mim, mas o que vale a pena fazer de verdade, é seguir a intuição do coração.

"Nunca consegui explicar muito bem o por que das coisas, porque elas acontecem. Segui sempre minha intuição. Quis fazer e fiz" Anésia Teixeira.

Aristóteles, Descartes e Kant que me desculpem...

Afinal de contas: "O coração tem razão que a própria razão desconhece" Pascal.

Termino este artigo com a transcrição de um texto bíblico de Tiago 4:13-17:

"Eia agora vós, que dizeis: Hoje, ou amanhã, iremos a tal cidade, e lá passaremos um ano, e contrataremos, e ganharemos;

Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco, e depois se desvanece.

Em lugar do que deveis dizer: Se o Senhor quiser, e se vivermos, faremos isto ou aquilo.

Mas agora vos gloriais em vossas presunções: Toda a glória tal como esta é maligna.

Aquele que sabe fazer o bem e o não faz comete pecado."

Portanto, façamos o bem a todos enquanto há tempo...

© Copyright 2001 - Prof. Vanderlei de Barros Rosas - Professor de Filosofia e Teologia. Bacharel e Licenciado em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Bacharel em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil; Pós-graduado em Missiologia pelo Centro Evangélico de Missões; Pós-graduado em educação religiosa pelo Instituto Batista de Educação religiosa.


Pesquise abaixo sobre filosofia:

Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof — Mantido por Carlos Duarte