A Qualidade Social da Educação: A Escola dos meus Sonhos

(Continuidade da série de artigos sobre o Congresso de Mendes: Uma Proposta de Professores)

Estamos encerrando a série da artigos sobre o Documento de Mendes, uma proposta de professores. O Objetivo principal desta série de artigos é deixar registrado aquilo que foi deliberado e não atendido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro. Fique este documento como inspiração para aqueles que acreditam na Educação (excluindo-se os políticos oportunistas) e que levam a sério sua missão de intervir na realidade e mudá-la.

As considerações abaixo, bem poderia Ter o título: A Escola dos meus sonhos.

ü A escola precisa trabalhar, de modo interativo, com outras instituições sociais e, assim, poder cumprir seu papel social de construção e democratização do conhecimento;

ü Garantir no Projeto Político-Pedagógico, debates e discussões, construindo uma cultura avaliativa, diagnóstica e reflexiva com possibilidades de recuperação paralela e reforço escolar, minimizando a exclusão.

ü Buscar financiamento para o Livro Didático e outras mídias pedagógicas para o Ensino Médio e a educação de Jovens e Adultos, respeitando o Projeto Político Pedagógico, além de implementar ações junto ao Ministério da Educação visando a extensão do PNLD, para estes níveis de ensino;

ü Trabalhar a partir da realidade do aluno, somadas a outras realidades construindo com ele uma nova leitura de mundo;

ü Elaboração do projeto Político Pedagógico com a participação de toda a Comunidade escolar, assessorada por membros da SEE, nos seus diferentes níveis, assegurando tempo suficiente para debates e conclusões, considerando os Eixos Integradores e dando ênfase ao currículo;

ü Garantir a realização de Fóruns permanentes para discussão e troca de experiências bem sucedidas, dentro do horário de trabalho, preestabelecidas no calendário escolar.

ü Revitalização dos CIEP"s e cumprimento da Constituição estadual, transformando gradativamente as escolas estaduais em escolas de horário integral, com as características originais dos CIEPs estimulando as necessidades básicas de pessoal e ações que permitam seu funcionamento, adotando-se, juntamente com a comunidade, a proposta de adaptação de construção de novos espaços;

ü Dotar a escola de infra-estrutura que permita o estímulo à prática de atividades esportivas, artísticas e culturais com a finalidade primordial de minimizar a evasão escolar;

ü Implementar bibliotecas com bibliotecários, em todas as escolas, visando apoiar a formação do cidadão crítico;

ü Instalação de laboratórios de informática;

ü Limite máximo do número de 3o alunos em turma;

ü Garantir, através de concurso público, um quadro mínimo técnico administrativo pedagógico a todas as unidades Escolares, como princípio fundamental de qualidade social, sem deixar de considerar as dimensões da escola;

ü Contemplar, no Projeto Político Pedagógico: 1) Necessidade local; 2) Metas da U.E., finalidades e ações efetivas; 3) Que cidadão queremos forma; 4) ênfase ao multiculturalismo e ao entendimento das diferenças na escola, além da descaracterização eurocêntrica do currículo escolar;

ü Construir uma escola inclusiva que ouças a voz dos alunos e valorize a experiência do professor;

ü Estabelecimento de um Fórum de Avaliação com o objetivo de discutir as estratégias, que estabeleça novas bases teóricas e metodológicas para a avaliação do rendimento escolar;

ü As deliberações a respeito da Avaliação deverão, a priori, ser discutidas com a participação majoritária dos professores regentes, através de encontros, congressos e não por meio de legislação durante o período letivo.

Termino esta série de artigos com dois pensamentos clássicos de Fernando (Não o FHC, mas o Pessoa):

"Navegar é preciso... viver não é preciso" e "Tudo vale a pena se a alma não é pequena".

© Copyright 2001 - Prof. Vanderlei de Barros Rosas - Professor de Filosofia e Teologia. Bacharel e Licenciado em Filosofia pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro; Bacharel em teologia pelo Seminário Teológico Batista do Sul do Brasil; Pós-graduado em Missiologia pelo Centro Evangélico de Missões; Pós-graduado em educação religiosa pelo Instituto Batista de Educação religiosa.


Pesquise abaixo sobre filosofia:

Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof — Mantido por Carlos Duarte