Banco de Dados no Futuro

Supermercado, 00:47 h., e, novamente, sua amada mulher com desejo de comer "Nutella" com pão. Falaram que fazer compra neste horário é mais sossegado. De certa forma o local esta vazio, mas o que adianta se os caixas não trabalham? Frio na cidade que nunca pára, realmente uma situação chata. Sair de sua casa, conforto para atender desejos. Nem o amor consegue, às vezes, suportar esta dor; somente o futuro para resolver a questão.

Modo psicodélico de encarar alguns anos à frente? Vida do dia a dia, no futuro, será mais romântica e inteligente. A geladeira e armário, conectados diretamente à central do seu supermercado preferido, já anunciando que sua "Nutella" favorita está em falta na dispensa, além de outros itens também. Estoque acabando, mas rapidamente reposto, basta o débito automático em conta corrente.

Frio na cidade, terrível... Debaixo das cobertas, assistindo a televisão por alguma fresta do cobertor. Ao lado, seu criado-mudo e o controle remoto digital, um "front end" do SGBD da sua casa inteira. Do outro lado, sua lindíssima amada tremendo de frio. Basta um "clique" para mudar a temperatura do quarto e outro "clique" para na cozinha, o pão estar pronto com "Nutella" a sua espera. Incrível!

Conjunto de informações, com grande poder de memória e otimização. Teremos em nossas mãos grande ferramenta para a sobrevivência, como no passado, o celular, que um dia fora questionado. Mais valor na informação?

Em modo empresarial, o conceito muda de acordo com a necessidade. De simples entrada, processamento, saída, passamos para dado, informação e procedimento. Alguma forma nova de tratar os dados vai surgir para outras aplicações incluírem seus algoritmos.

"Para descobrirmos a importância do amor, é necessário, primeiramente, compreender o seu valor, mais do que isso, carece que estejamos conscientes que o amor é um valor".1 Existirá no futuro um SGBD para estes valores?

Com grandes aplicações avançadas, os bancos de dados serão potentes tanto no trabalho, como na vida afetiva, mas uma coisa é certa, nunca escaparão de serem armazenados, indexados, recuperados e re-indexados...

1 ALMEIDA, Prof. Dr. Guilherme Assis de Almeida. O Valor do Amor. Artigo. Disponível em: <http://www.mundodosfilosofos.com.br/guilherme23.htm>. Publicado em: 24 mar. 2001.

© Texto elaborado por João Paulo Camargo - Formado em Ciências da Computação com ênfase em Análise de Sistemas, atuando na área de Tecnologia da Informação desde 1992. Formado em Direito pela Universidade São Marcos, tem sua participação no site voltado às novas tendências do mercado tecnológico com artigos do gênero, críticas ao desenvolvimento e artigos voltados aos relacionamentos humanos extraídos de experiências em diversas histórias.Atualmente, cursando pós graduação pela Universidade São Judas na área tecnológica.


Pesquise abaixo sobre filosofia:

Elaborado e Idealizado por Rosana Madjarof — Mantido por Carlos Duarte